Notícia

Cartórios realizam autenticação de documentos de forma online no país

Tags:
Publicado em: 30/12/2020
Compartilhe

Plataforma garante serviço sem a necessidade da presença física do interessado e segurança jurídica ao documento, diz entidade cartorária

A autenticação de documentos, serviço mais procurado nos cartórios de notas, agora pode ser realizada de forma digital, sem a necessidade da presença física do usuário, conforme anunciou o Cartório Notarial do Brasil – Seção São Paulo (associação paulista dos cartórios de notas).

De acordo com o vice-presidente da seção paulista do Colégio Notarial do Brasil, Andrey Guimarães Duarte, o novo recurso permite a materialização e a desmaterialização de autenticações em diferentes cartórios, verirfica a autenciticidade do arquivo digital e torna mais rápido o envio do documento certificado para pessoas ou órgãos.

O dirigente cartorial acrescenta que a plataforma eletrônica e-Notariado disponível no site da Cenad (Central Notarial de Autenticação Digital) — no endereço cenad.e-notariado.org.br —, garante segurança jurídica ao documento emitido. A verificacao na plataforma permanece aberta por cinco anos, conforme norma do CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

“Isso faz com que a pessoa tenha a possibilidade de fazer circular um documento na internet de maneira digital, mas atestando que é verdadeiro. A diferença é o grau de confiança. Vale para o mundo físico e o mundo digital”, garantiu Andrey.

A plataforma permite que um documento físico seja copiado, digitalizado e, de maneira segura, que produza efeito. Após a digitalização, o documento é criptografado e arquivado na rede blockchain — desenvolvida exclusivamente para uso do Notariado — para que o usuário possa conferir o procedimento e utilizá-lo.

“Se [o documento] já nasceu digital, você o baixa na palataforma, que o verifica e criptografa. Se houver qualquer alteração na hora que for feita a atestação, o sistema vai mostrar quando validar e dizer se é esse mesmo ou se houve um bite de altaeração. Depois, há um fechamento. o documento é lacrado. Se fizer qualquer alteração nos dados, a plataforma não vai fazer a validação”, completou o representante da associação cartorária paulista.

Documentos mais autenticados

Segundo Andrey Guimarães Duarte, registros de identificação (CPF e RG, por exemplo) são bastante copiados. Mas a autenticação admite qualquer documento, como: textos, redações e fotos. “Algumas pessoas usam para finalidades diversas.”

O sistema e-Notariado, responsável por hospedar a Central Notarial de Autenticação, oferece ainda os serviços de assinatura digital de escrituras, procurações, atas notariais, testamentos, além de realizar separações e divórcios extrajudiciais de forma virtual.

Tutorial

Para realizar o serviço, o usuário deverá solicitar a autenticação digital a um Tabelionato de Notas de sua preferência e enviar o documento (caso seja digital), por e-mail, aplicativos de mensagem ou outros meios eletrônicos. Por enquanto, documentos físicos devem ser levados até o cartório para a sua digitalização e autenticação.

Ao recebê-lo na plataforma, que segue as normas de territorialidade para distribuição dos serviços, o tabelião irá verificar a autenticidade e a integridade do mesmo.

“Você entra na plataforma e faz o upload do documento. É exigido que você se identifique nessa hora. A partir daí, vai ser finalizado e vai ser lacrado. É [gerada] uma numeração, um código de critptografia. O destinatário vai entrar na plataforma, digitar o código e a plataforma vai falar se é verdadeiro”, explicou Andrey Guimarães Duarte.

Posteriormente, a autenticação notarial irá gerar um registro na plataforma, que conterá dados do notário ou responsável que a tenha assinado, a data e hora da assinatura, e código de verificação.

Em seguida, o usuário receberá um arquivo PDF assinado digitalmente pelo cartório. O envio do arquivo poderá ser feito por e-mail, WhatsApp ou outro meio eletrônico. A operação é assegurada e validada pelo rede blockchain exclusiva do notariado.

Leia também

Lei autoriza que exame de DNA seja feito em parentes do suposto pai
Notícia

Lei autoriza que exame de DNA seja feito em parentes do suposto pai

A norma foi publicada no DOU desta segunda-feira, 19 Em casos de o suposto pai ter falecido ou não existir notícia de seu paradeiro, o juiz determinará a realização do exame de pareamento do código genético (DNA) em parentes consanguíneos, preferindo-se os de grau...

Print de WhatsApp apresentado de forma unilateral não é prova válida
Notícia

Print de WhatsApp apresentado de forma unilateral não é prova válida

A 2ª turma do TRT-18 manteve a validade do pedido de demissão feito por um técnico de produção de uma empresa de embalagens na região sul de Goiás. O colegiado entendeu não haver provas de que a indústria tivesse aceitado realizar um acordo e nem que tivesse forçado o...