Notícia

Divórcio Extrajudicial, seus requisitos

Tags:
Publicado em: 3/09/2021
Compartilhe
O Divórcio Extrajudicial é aquele efetivado em cartório, em que não se faz mais necessário primeiro haver a separação, para depois de um prazo requerer a conversão da separação em divórcio mediante um longo processo judicial.
 
Foi instituído pela Lei 11.441/2007, que alterou o Código de Processo Civil, possibilitando assim que o Divórcio seja realizado, independente de prazo, diretamente junto ao Tabelionato de Notas através de Escritura Pública de Divórcio. Não havendo, portanto, qualquer demanda judicial, diminuindo assim o tempo para finalização do procedimento de divórcio, bem como facilitando para as partes quando preenchidos os requisitos legais.
 
São necessários alguns requisitos para que o divórcio seja realizado perante o Tabelionato, sendo elas:
 
• Inexistência de filhos menores de idade, incapazes ou nascituros. Assim, caso a esposa esteja grávida ao tempo do divórcio será necessária uma demanda judicial a fim de resguardar os direitos dessa criança com a intervenção do Ministério Público.
 
• Assistência por advogado habilitado, podendo ser um único profissional a atender os interesses de ambas as partes, ou cada parte possuir seu próprio Advogado.
 
• Total consenso entre o ex-casal quanto ao divórcio, ainda que a partilha de bens não seja resolvida em mesmo momento e ocorra em tempo futuro, é requisito primordial que as partes estejam de acordo com a realização do divórcio.
 
A documentação a ser entregue ao Tabelionato pode variar de cartório para cartório, porém os documentos abaixo deverão ser entregues quando da solicitação de divórcio, sendo eles:
 
• RG e CPF das partes.
 
• Comprovante de residência.
 
• Certidão de Casamento atualizada.
 
• Pacto Antenupcial, se houver.
 
Requerimento de divórcio assinado por advogado habilitado indicando o regime de bens do casamento firmado, bem como com a declaração expressa de inexistência de filhos nascituro, declarando a esposa não estar grávida.
 
No requerimento mencionado é importante ainda ser informado ao Tabelião como se dará a partilha de bens entre o ex-casal ou se não há bens a serem partilhados.
 
O Divórcio Extrajudicial deixa de lado a emoção, ou pelo menos, diminui a sensação de sofrimento visto que se trata de procedimento muito mais rápido, levando em média de 30 a no máximo 45 dias a depender da localidade. Não se discute quem tem culpa, de quem foi a iniciativa ou a razão do divórcio, mas sim, resolve e põe fim aquela relação que, por alguma razão, não foi possível ser levada a diante.
 
O procedimento em cartório não depende de audiência prévia e sequer o ex-casal necessita ir juntos ao Tabelionato para assinarem a escritura, sendo assim o modo mais prático e rápido de pôr fim a angústia de uma separação.
 
Uma vez finalizado o procedimento junto ao Tabelionato, alguns passos ainda são importantes para conclusão de todo os trâmites, como por exemplo: levar a Escritura à registro na Certidão de Casamento junto ao Cartório de Registro Civil onde ocorreu a celebração da união.
 
Procure sempre seu advogado de confiança.
Fonte: O Popular

Leia também

Como realizar o processo de usucapião via cartório
Notícia

Como realizar o processo de usucapião via cartório

Usucapião é uma ferramenta jurídica destinada à aquisição de algum bem móvel ou imóvel, por meio da posse prolongada do mesmo. Para que isso seja viável, é essencial que a utilização desse bem seja de forma pacífica e dócil, sem nenhuma contestação sobre o uso da...

COM PANDEMIA, PLANEJAR SUCESSÃO PODE EVITAR DOR DE CABEÇA
Notícia

COM PANDEMIA, PLANEJAR SUCESSÃO PODE EVITAR DOR DE CABEÇA

O alto número de mortes por conta da pandemia joga luz na discussão sobre transmissão da herança e importância do planejamento dessa questão no âmbito familiar. “Muitos não lidam bem com os aspectos práticos da morte. Conhecer o caminho e planejar-se de forma eficaz...

Diferenças entre inventário e arrolamento
Notícia

Diferenças entre inventário e arrolamento

O inventário é aberto quando ocorre o falecimento de uma pessoa física, tendo como objetivo a descrição de todos os bens e direito que serão partilhados para aqueles que legalmente têm direito.  Desta forma podemos dizer que o Inventário tem a...